Saiba mais sobre o custo de vida em Portugal

Share

Muitos brasileiros que se mudam para Portugal estão em busca de qualidade de vida, oportunidades de emprego ou, ainda, procuram aprimorar seus estudo e alcançar melhores salários.

Um dos maiores desafios é tentar descobrir como é morar no país lusitano, o que parece complicado saber sem ter se mudado para lá.Por isso, o Cidadania Já preparou este post para esclarecer dúvidas em relação ao custo de vida em Portugal.

Antes de começarmos a falar sobre moradia, saúde, transporte e alguns outros pontos da vida portuguesa, precisamos ressaltar procedimentos necessários relativos ao estudo e ao trabalho em Portugal.

Brasileiros que desejam seguir para o país e ingressar em alguma instituição educacional— seja para cursar a graduação, seja para realizar um Mestrado ou um Doutorado —precisam dar entrada no pedido de visto correspondente à sua situação, antes de se mudarem para Portugal.

Os órgãos que podem ser consultados para realizar esse requerimento são os Consulados de Portugal. Existem vários tipos de visto, cada um para uma situação: estudantes, trabalhadores, investidores, etc. Você deve procurar qual é o mais propício para o seu caso e checar a documentação necessária para requerer junto ao consulado de sua escolha.

É importante pontuar que as autoridades portuguesas não indicam e não garantem a legalização de nenhum imigrante que entre em Portugal como turista e tente resolver todas essas questões burocráticas já no país.

Também vale lembrar que o visto só é aprovado caso haja uma justificativa plausível para o pedido: matrícula em curso de Ensino Superior, documento comprobatório de proposta de emprego em território português, etc.

A boa notícia é para brasileiros com dupla cidadania! Quem tem nacionalidade portuguesa não precisa de visto para nenhum dos casos. Ser um cidadão de Portugal já garante o direito de visitar, morar, estudar e trabalhar em qualquer país membro da União Europeia.

Qual o custo de vida em Portugal?

Ao se mudar para Portugal, o aconselhável é levar uma quantia de dinheiro que cubra, pelo menos, os três primeiros meses de gastos no país. O custo de vida de Portugal é um dos mais baratos da Europa, mas isso é reflexo do valor baixo do salário mínimo. Apesar de os produtos serem menos caros, o brasileiro provavelmente receberá menos do que recebe no Brasil, mas, ainda assim, terá maior poder de compra.

Entender o custo de vida de um lugar significa saber quais contas é preciso pagar e se o valor total, em longo prazo, será coberto pelo salário recebido. Por esse motivo, é muito importante se organizar financeiramente para viver em outra realidade, com uma moeda diferente.

Para calcular o custo de vida médio em Portugal, é simples. Basta seguir a fórmula:

Custo de vida = comida + aluguel (com contas) + transporte + educação + saúde + lazer

Em janeiro de 2018 o salário mínimo nacional português sofreu um acréscimo de 23 euros, passando a valer 580 €. Atualmente, a taxa de desemprego no país é de 14%. Nos Açores e na Madeira, regiões autônomas da República Portuguesa, o salário mínimo é de 556,50 € e 540,60 €, respectivamente.
Segundo a plataforma OECD Better Life Index, a renda média individual em Portugal é igual a 18.273,29 euros por ano. Já a Numbeo diz que o valor médio anual do salário em Portugal é 9.608,28 euros.

Independentemente de qual estimativa é a certa, em Portugal essa é uma boa média salarial para quem é, pelo menos, licenciado e está no começo da carreira em experiência profissional.Quem não tem formação superior recebe em torno de 600 € por mês.

Moradia

As cidades de Portugal mais procuradas por brasileiros para morar costumam ser as mais populosas. De acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), em primeiro lugar está Lisboa, com mais de 500 mil habitantes; a segunda cidade portuguesa mais populosa é Sintra, com aproximadamente 383 mil habitantes; Vila Nova de Gaia ocupa o terceiro lugar na lista, seguida de Porto e Cascais.

Alugar imóveis em Portugal, especialmente em Lisboa ou Porto, por exemplo, já foi mais barato. Nos últimos anos os preços inflacionaram por conta da alta o turismo nessas cidades.

Pelas estimativas de 2018 da Numbeo, o aluguel de uma moradia com um quarto (T1) no centro da cidade de Lisboa custa, em média, 520 €. Já um apartamento com as mesmas características, porém mais afastado do centro, vale aproximadamente 355 €.

Em Cascais, vila da área metropolitana de Lisboa que fica a 45min de carro da capital portuguesa, os preços de imóveis são mais baixos. Apartamentos T1 custam entre 400 e 500 euros. Com dois quartos, o imóvel vale de 500 e 600 euros.

Em comparação a Lisboa, vamos analisar a cidade de Porto. Áreas mais próximas ao centro, como Ramalde e Foz do Douro, são bem servidas de hospitais, shoppings e faculdades, além de serem áreas com maior oferta de emprego.

Imóveis T1 valem de 450 a 550 euros; com dois quartos o valor é de 600 a 700 euros. Já em locais mais afastados, como Valongo e Alfena, os valores de imóveis abaixam. Essas áreas são tranquilas e calmas, mas o acessoé somente de carro ou trem. Além disso, há menos opções estabelecimentos.

Por isso, o indicado é que pessoas optem por morar nesses locais somente se tiverem um carro para trabalhar no centro, que fica a mais ou menos 30min de distância. Nessas áreas mais afastadas, imóveis T1 custam aproximadamente 250 €. Dois quartos valem entre 350 e 400 euros.

É raro que esses imóveis já venham mobiliados.Por isso, deve ser somado aos custos do aluguel os gastos com mobília.

No caso de estudantes, é muito mais fácil achar locais para morar. Existem quartos individuais, em casas compartilhadas, com preços entre 150 € e 350 €, normalmente com contas inclusas e já mobiliados.

Em Cascais, quartos para estudantes custam em média 250 €; no centro de Porto, o preço é de 350 a 450 euros; em áreas mais afastadas do centro de Porto, essas moradias para estudantes cobram mensalmente cerca de 250 €.

Esses valores podem variar. Então, o mais importante é pesquisar bastante sobre todos os procedimentos a serem tomados antes de assinar o contrato do aluguel.

Alimentação

Comer fora de casa em Portugal é uma tentação, pois, além de as comidas serem muito bem-preparadas e fartas, elas têm preços razoáveis. Fora da zona turística, pratos individuais em restaurantes custam entre 5 € e 10 €. Os fast-foods em Portugal também são mais baratos do que no Brasil: o combo mais caro do McDonald´s, por exemplo, custa 6 €.

Apesar de os valores serem mais baixos, é essencial cozinhar em casa. Pessoas que se mudarem para Portugal devem separar de 150 € a 200 € para pagar a compra do mês (compra individual). Já um casaldeve gastar em média 250 € para as compras do mês, no mercado.

Para quem quer economizar, duas opções: comprar legumes, verduras e frutas nas pequenas quitandas de portugueses que plantam os alimentos em seus sítios e vendem nas cidades por preços bem mais baixos que os praticados em supermercados.

Além disso, é possíveleconomizar nas compras do mês optando por produtos “marca branca” —do próprio mercado —, que são mais baratos do que os demais produtos, mas, ainda assim, têm uma ótima qualidade.

Todos os supermercados oferecem gratuitamente um cartão fidelidade aos clientes. À medida que se fazem compras no estabelecimento, esses cartões acumulam pontos e dão descontos e cupons.

Abaixo, os principais supermercados de Portugal:

Jumbo

Há uma sessão brasileira com muitos produtos de nosso país, como farinha de milho, flocãoe fubá.

Continente

Também é um ótimo supermercado, com muitos produtos da culinária brasileira: tapioca, farinha de mandioca, carne seca e polpa de frutas.

Pingo Doce

Ótimo local para brasileiros fazerem compras do mês, pois muitos dizem encontrar vários produtos comuns no Brasil, mas escassos em Portugal: polvilho azedo, polvilho doce e requeijão, por exemplo.

Contas fixas

Em Portugal, é bastante comum que as casas sejam completamente elétricas. Por conta disso, a conta de luz costuma ser mais cara. Separamos em tópicos as contas mensais de um imóvel e pontuamos os preços médios referentes à residência de uma família de três pessoas.

Luz

Para um casal com um filho, por exemplo, a simulação de custos diz que a média da conta de luz é de 80 € por mês, no inverno, e de 60 € no verão.

Água

Na mesma simulação, os gastos mensais com conta de água são de 20 €.

Televisão/telefone/internet

Na operadora NOS, televisão a cabo + telefone + internet + dois chips de celular com internet e ligações/ SMS ilimitados custa, aproximadamente, 60 € por mês. Apesar disso, existem planos mais baratos. A empresa Vodafone, por exemplo, tem pacotes de 25 €.

Transporte

O valor varia entre as regiões de Portugal, mas em todas elas o transporte público é de ótima qualidade e tem um bom funcionamento. Além de ônibus, outros serviços oferecidos são metrô, trens (comboios) e carros elétricos, aqueles famosos bondinhos amarelos.

Os preços dependem da distância que você percorre no dia a dia, mas pode-se dizer que a média do valor da passagem é de 1,50 €, e você pode usá-la durante 1h em mais de um tipo de transporte público. Existe um bilhete mensal que vale muito a pena adquirir: ele custa entre 30 € e 50 € por mês (dependendo da distância que você for percorrer).

Alguns serviços do transporte público de Portugal, dependendo da região, funcionam 24h por dia, sete dias da semana. Táxis cobram aproximadamente 3,25 € logo no início da corrida e, depois, 0,56 € por cada quilômetro rodado. Já quem tem o próprio carro desembolsa uma média de 1,57 € por litro.

Apesar de tantas opções de transporte, as pessoas em Portugal costumam andar muito de bicicleta, pois,em cidades europeias,a distância entre a maioria dos locais é bem curta.

Saúde

A saúde pública em Portugal funciona muito bem, sendo a preferência de muitos portugueses no lugar do serviço particular.

As pessoas que optam por hospitais particulares vão para tais estabelecimentos mais por conforto do que por qualidade, até porque, se algum caso for mais grave, provavelmente os hospitais particulares levarão o paciente para um hospital público, que tem mais estrutura para atender esse tipo de demanda.

Apesar do nome “público”, esse serviço de saúde é pago. Certos valores são cobrados por consultas e procedimentos específicos. Brasileiros que querem morar em Portugal e pretendem usufruir do sistema público de saúde do país devem solicitar o PB4, Certificado de Direito à Assistência Médica.

A solicitação do PB4 deve ser feita ainda no Brasil. É um certificado gratuito, que pode ser emitido junto ao Ministério de Saúde da sua cidade.

Chegando a Portugal, o brasileiro precisa se cadastrar em um centro de saúde (estabelecimento correspondente aos postos de saúde do Brasil) da região onde for morar. Ao se cadastrar, o brasileiro passa a ter um médico de família que o acompanha e o encaminha para especialistas, quando necessário.

Cada consulta agendada com o médico custa 5 €. Já nos hospitais, para fazer uso do pronto socorro, é cobrada uma taxa de 15 €.Se for preciso realizar exames, pode ser cobrada uma taxa extra.

Em Portugal não existe plano de saúde como no Brasil. Pessoas que optam por pelo sistema particular pagam 20 € a 40 € por uma consulta no clínico geral e até 80 € por uma consulta com um especialista.

Os seguros, em Portugal, dão “descontos”, cobrindo uma parte dos gastos nos hospitais particulares. Uma consulta particular, portanto, no lugar de cobrar de 30 €, em média, passa a cobrar 15 €. Um seguro de saúde em Portugal custa aproximadamente 25 € ao mês, por pessoa.

Gostou das nossas dicas sobre custo de vida em Portugal? Animado para colocar seus planos em prática? Não se esqueça de que planejamento, pesquisa e organização são fatores muito importante para todo o processo.